O mundo não está pronto

Saí comer uma pizza com o Hernan e como sempre milhões de partes dos nossos papos são dignos de post. Acabei escolhendo o assunto porque ele passou por uma situação que resulta nas mesmas conclusões da conversa que tive com minha mãe esses dias.

Vou preservar a privacidade do Hernan, mas para resumir ele achou que algumas adolescentes poderiam se chocar ao ver ele com o namorado. Tolice, as meninas agiram com a maior naturalidade.

Minha mãe, por sua vez, estava protestando contra o fato de haverem gays nas novelas. Isso que nós temos um casal de amigas lésbicas (já na casa dos 50 e tantos anos, quase a idade da minha mãe) e um casal de amigos gays que conhece a família inteira. Há anos, eu tento colocar na cabeça da minha mãe que ela tem dois pesos e duas medidas, porque aceita os amigos que temos, mas se choca com a mídia, seja realidade ou ficção. Ela acha que não está certo e ponto.

As duas situações levam a mesma conclusão: o mundo não está pronto para os homossexuais, mas isso é uma questão de tempo. Porque as próximas gerações, os mais novos, agem naturalmente. Quem não aceita são os mais velhos, a geração de nossos pais e avós, acostumados ao comportamento enrustido. Na verdade, se existem tantos homossexuais no armário, a principal razão disso são seus pais. Ou seus avós, vai saber.

Minha mãe não se acostuma com os gays nas novelas, assim como acha um absurdo comer peixe cru, não acha certo mulher sair sozinha pra balada, além de achar horrível que eu fumo e bebo. Não consigo mudar essas ideias dela, não dá para ensinar truque novo para macaco velho.

4 comentários:

FOXX disse...

concordo, porém tenho uma dúvida, talvez uma falta de fé, será mesmo q essas gerações futuras estão tão mais esclarecidas assim? sou professor e vejo os jovens meninos e meninas gays sofrerem tanto. o que está acontecendo então?

Lomyne disse...

Boa pergunta, Foxx. Mas acho que talves esse sofrimento seja um tanto inerente aos adolescentes, mesmo que às vezes seja por razões que nós "adultos" achamos tolas, como o menino por quem me apaixonei e que me ignorava nessa fase. Faz parte da juventude esse sofrer...

Hbo disse...

Pra mim, crianças são (e sempre serão) os seres mais cruéis do planeta. Porque além de dizerem a verdade, nua e crua, sobre o que pensam, acabam carregando todo um fardo de achismos e conceitos pré-moldados dos pais. Daí não seguram a língua quando querem criticar uma menina gorda, ou um menino gay. Eles só...criticam.

Já os adolescentes, acho que é uma mescla: eles continuam cruéis como crianças, mas já são maliciosos como adultos. Creio que falam pra ferir quando querem. Que arquitetam uma maldade.

Não sei se as gerações futuras estão mais ou menos preparadas, mas sei que hoje os mais novos agem com mais naturalidade porque está tudo mais comum, tudo mais TV.

Isso só muda com muito trabalho.

Lomyne disse...

Talvez eu seja uma otimista incorrigível, Hbo, mas eu acho que já mudou bastante...